quinta-feira, 30 de junho de 2011

Doutrina da Informação


Religiosidade é um tema que tem sido posto em debate desde sua criação. O certo e o errado, o céu e o inferno, planos superiores e o purgatório, a descrença cristã dentre outros ditos, são conceitos que vem sendo discutidos a cada dia mais pela sociedade. A questão levantada é: Qual o conceito certo? Em que devo me basear para chegar a alguma conclusão e direcionar minha vida?
Existem aqueles que defendem sua fé com unhas e dentes e que todo o resto do mundo está totalmente errado e vão todos para o “mármore do inferno”. O engraçado é que estes não tem uma base consolidada em seus fundamentos, distorcem muitas das coisas escritas na bíblia e acabam por fazer umas das coisas mais erradas para com o próximo: o prejulgamento. Nem o próprio Jesus Cristo julgou o próximo, por que nós, meros e miseráveis pecadores, temos o poder de fazer isso?
Agora o que não podemos fazer é agir como leigos e tapar os olhos e ouvidos para a realidade e o lógico. Um dos maiores poderes que nós temos hoje em dia, seja em nossa vida pessoal ou profissional, é a informação. Um ser humano dotado de informações é aquele que irá se sobressair perante os outros. Antes de defender algo, leia, estude, informe-se, tire suas conclusões para assim, crer e defender o seu pensamento. Não seja daquele tipo de “Maria vai com as outras”.

Muito se fala que “a voz do povo é a voz de Deus”. Eu quero saber quem foi o ser que informou isso, porque até o “Dr. Google” não soube me dizer. Existem doutrinas, que embora detenham uma grande parcela de seguidores no mundo, se contradizem em vários aspectos em relação até mesmo ao que elas pregam. Por exemplo: Você sabe quais são os dez mandamentos? Sabe mesmo? Te deram algum tipo de cartilha pronta ou você mesmo conferiu na própria bíblia? Caso queira saber quais são, (CLIQUE AQUI), ou depois abra sua bíblia no livro de Êxodo, capítulo 20. Talvez assim você possa compreender melhor o que as outras doutrinas pregam.


Parece que o empreendimento do futuro é se criar novas igrejas. A cada esquina que se vê, existe um fundo de quintal com um novo nome de igreja, alegando ser a detentora da verdade. Pode notar que em menos de um ano este fundo de quintal se torna quase um terço do quarteirão da rua com vários fiéis, onde o único intuito desta é sugar todo o dinheiro das iludidas pessoas. Talvez este seja o motivo do crescente número de infiéis no mundo.

Após ler, estudar, informar-se e concluir os seus pensamentos: Parabéns. Agora você está fundamentado para seguir seu caminho com seus próprios pés e não com os pés da Maria que foi com as outras (o chamado livre arbítrio). Esteja ciente das consequências de suas escolhas e não pense que a salvação que você busca está no nome de sua denominação, pois Deus virá salvar os CPF’s e não os CNPJ’s.

Abraços.
E aí?

2 comentários:

  1. Adorei Dalton, cada dia melhor seu blog.

    ResponderExcluir
  2. Dalton, a última frase do texto é absolutamente brilhante; vou adotar. :-) Certamente há uma diferença entre ser leal a seus princípios e ser excludente em relação ao próximo. Podemos adotar ou não adotar ideias, mas não temos o direito de rejeitar seus portadores. Beijos e sucesso!

    ResponderExcluir

Escreva seu comentário AQUI !!