domingo, 4 de setembro de 2011

O auxílio da reclusão

N'uma conversa entre amigos em findar de tarde, abordou-se um tema que era de meu total desconhecimento - e creio que da maioria dos brasileiros também: auxílio reclusão. Criado em 1991, este auxílio é concedido aos dependentes daqueles criminosos que são detidos por cometerem suas delinquências na sociedade. Para receber este auxílio, o preso basta estar contribuindo com a previdência social antes de ser recluso. E mais! A lei ainda estipula um prazo de 12 meses de carência, ou seja, a pessoa que ficar desempregada ou que deixar de pagar o carnê do INSS, por um período de até um ano, ainda é acobertada pelo auxílio reclusão. O valor base pago neste auxílio é o salário mínimo, chegando superar até o valor de R$3.000,00 dependendo do hóspede carcerário. Segundo dados do INSS, dentre os períodos de janeiro a julho deste ano, foram pagos somente na Paraíba, a quantia de 1,8 milhões para este benefício. Agora imaginem o total pago em todo o país?

Agora, tendo uma ótica para o outro lado da questão, quanto é que se paga para as famílias das pessoas que foram assassinadas, roubadas e/ou estupradas por estes reclusos? E como ficam também aquelas famílias onde o pai trabalha de "sol a sol" honestamente para, no fim de cada mês, conseguir uma quantia supérfula e inferior a um salário mínimo? O Brasil parece que valoriza este tipo de atitude das pessoas, pois estes delinquentes, presos ou soltos, só fazem lucrar às custas dos cidadãos dessa sociedade caótica.


Abraços.
E aí?

6 comentários:

  1. Pois é Dalton, realmente parece e é um absurdo, ao mesmo tempo que por vezes a família do condenado nada tem a ver com os erros cometidos por esta pessoa. Eu acredito que em primeiro lugar deveria ser feita uma avaliação das necessidades da família, como fazem quando obrigam o homem, por exemplo, a pagar a pensão dos filhos. Em segundo lugar os presos deveriam ser aproveitados como mão-de-obra em connstruções de estradas, ferrovias... a BR101, os viadutos que nunca ficam prontos de Caruaru, a expansão de aeroportos, a transnordestina entre tantas obras poderiam contar com o trabalho desses presos que receberiam uma espécie de salário que seria dividido em parte para sua família e em parte para pessoas diretamente prejudicadas por eles e/ou para instituições de caridade. E os presos deveriam ser informados para onde o dinheiro está indo, para que o trabalho dele está servindo...

    ResponderExcluir
  2. É isso aí, professor. Também compartilho da idéia dos reclusos serem aproveitados para construções pertinentes à sociedade, pelo menos assim este benefício seria bidirecional.

    ResponderExcluir
  3. E ainda dizem q as finanças públicas anda mal por conta das pessoas q burlam impostos diversos...vemos q o problema não está na arrecadação, mas na despesa....peloamordeDeus aff
    É a lei do eu pago e tu goza!!kkkkkkkkkk
    xeros

    ResponderExcluir
  4. Parace-me que os valores sociais estão destorcidos. E a saúde? a educação? quanto se gasta mesmo para formar um profissional capacitado que irá trabalhar honestamente e gerar riquezas para o pais? Aposto que menos do que para manter qualquer presidiário.

    ResponderExcluir
  5. Esse benefício , que eu já sabia que existia é um verdadeiro erro , ma sem se tratando de Brasil qualquer erro é comun
    http://fleonandthecity.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Estou seguindo o blog achei bastante interessante, aguardo vc no meu cantinho, retribue seguindo lá?

    Amoooo pessoas novas, novas amizades é tudo...
    big beijo

    http://maniasdadiva.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Escreva seu comentário AQUI !!